Cuckold: Tudo Sobre o Gostar de Ser Corno

Cuckold: Tudo Sobre o Gostar de Ser Corno

E De Repente Você Recebe Uma Proposta de Seu Marido Sobre Sair Com Outro Homem. O Que Você Faz? Esse é o Famoso Cuckold

Como terapeuta sexual, ouço isso com mais frequência do que você imagina. Há uma pequena população de homens e casais que se envolvem em relacionamentos de “corno”.

O Que é Cuckold?

Você já imaginou que ser corno pode ser um fetiche? Pois é exatamente disso que se trata o cuckold. Apesar das origens do termo serem completamente diferentes, o cuckold é uma gíria em inglês bem similar ao que nós conhecemos como corno por aqui. Nesta parafilia, a pessoa alcança o próprio prazer a partir da infidelidade da própria parceira. Muitas vezes assistindo a pessoa ser infiel bem na sua frente.

O termo corno apareceu pela primeira vez na literatura inglesa em 1562. Cuckold refere-se ao fato de que o homem que está sendo enganado é o último a saber sobre a infidelidade de sua esposa. Isso também se refere a uma tradição que afirma que, nas aldeias do tempo europeu, a comunidade se reunia para humilhar coletivamente um homem cuja esposa deu à luz um filho que não era dele. Segundo essa lenda, foi realizado um desfile no qual o infeliz marido foi forçado a usar chifres na cabeça como símbolo da infidelidade de sua esposa.

A origem do termo cuckold

Bom, como para bom entendedor meia palavra basta, cuckold nada mais é do que sentir prazer ao ser corno. É, isso mesmo. O termo é uma adaptação do inglês cuckoo (o pássaro cuco) que, na natureza, aceita receber em seu ninho uma fêmea que vá botar ovos de outro macho.

Então se você está em uma relação e sente prazer (e não é não se importar ou achar legal ter um relacionamento aberto, é sentir prazer mesmo) em saber, ver ou ouvir a parceira tendo relações com outra pessoa, você curte o cuckold.

O termo cuckold também aparece entre os mais pesquisados no Google. Nos últimos anos, o número de buscas sobre o assunto dobrou na ferramenta. Em fóruns da internet, também é praticada uma versão virtual da fantasia. Maridos postam fotos das esposas e pedem comentários dos usuários — claro, com o consentimento da mulher.

Saíba o que é CuckoldO termo corno nos tempos modernos se transformou no que alguns chamam de fetiche sexual ou, para alguns casais, um estilo de vida. Como sexóloga clínica e terapeuta de casais que trabalho com pacientes em relacionamentos de corno, observei que a prática geralmente é dirigida por homens, não como a humilhação indesejada do passado.

Com os casais que aconselho, o marido obtém prazer sexual ao ver sua esposa fazer sexo com outros homens. O papel de “vítima” do marido é definitivamente um elemento importante na relação. Na cultura desse fetiche por cuckolding, a mulher é tipicamente retratada como sendo sexualmente dominante enquanto o homem assume um papel submisso, apenas se envolvendo com seu amante quando ela permite – às vezes permanecendo completamente celibatário no casamento.

“E então ele diz: ‘Quero ver você transando com outro homem.”

Cuckold x Poliamor

Muitas vezes, o conceito de corno é confundido com poliamor, mas o corno é diferente. Para a maioria dos homens que desejam que suas esposas se juntem a eles em um relacionamento de corno, é preciso ter pressão para se apresentar sexualmente.

E Como Isso Funciona?

Assim como nos outros fetiches, o cuckold pode se satisfazer de várias maneiras. Cabe ao casal decidir qual delas mais se aplica ao que eles gostam. Aqui estão alguns exemplos:

  • A mulher transa com outra pessoa fora de casa e, ao chegar, conta os detalhes para o parceiro;
  • A mulher transa com outra pessoa enquanto o parceiro escuta tudo em um quarto ao lado;
  • A mulher filma a transa e mostra para o parceiro;
  • O parceiro fica observando a ação entre a parceira e o amante, sem participar hora alguma;
  • O parceiro vê sua mulher transando com o amante e depois transa com a mulher, com o esperma do outro dentro dela.
  • O parceiro participa da ação (ménage à trois), alternando momentos de atividade e de voyeurismo.

Duas observações em relação aos modos como o cuckold pode ser praticado. A primeira é em relação ao cream pie, nome dado ao esperma que fica na vagina ou ânus da mulher depois que o homem ejacula. Não é à toa que recebe esse nome, já que o orifício fica parecendo mesmo uma torta de creme. Muitos “cornos” gostam de lamber o esperma, prática que está diminuindo bastante porque as pessoas estão cada vez mais usando camisinha – ainda bem! O contato com os fluídos sexuais podem passar diversas DSTs, mesmo se for via oral.

Conheça Algumas Variações do Cuckold

Relação Fixa

O casal se relaciona comum único parceiro sexual. Ou seja, há uma preferência pela intensidade e envolvimento pessoal com um único homem. A relação do trio pode durar meses ou até anos. Nesta categoria o marido pode estar presente, assistindo, participando ou não. Existem maridos que gostam apenas de ouvir as histórias de suas esposas com o amante.

Pompoarismo Masculino

Relação Com Homens em Orgia Esporádica

O casal prefere organizar uma noite com vários desconhecidos (todos ao mesmo tempo ou um de cada vez) para que haja uma orgia ou ménage masculino a três. Geralmente, não há qualquer tipo de envolvimento pessoal. Daqui derivam fetiches como o “Dogging” (A esposa transa com vários desconhecidos em local público), ou o “Bukkake” (Vários homens gozam no rosto da esposa).

À Distância

O marido libera a esposa, mas não assiste ao ato sexual, apenas fica sabendo depois os detalhes da transa descrita por ela, ou telefona durante a transa de forma que possa ouvir o que acontece durante a transa. Nessa categoria, algumas vezes, nem o amante fica sabendo que o marido é cuckold. A esposa busca um homem e transa como se fosse adultério real.

Voyeur

O marido assiste a transa da esposa, mas, ele não tem qualquer contato físico com nenhum dos dois (esposa e amante). Em geral são maridos que adoram fotografar e filmar ou só ficar vendo.

Incentivador

O marido não se limita a assistir. Ele gosta de fazer carícias ou segurar a mão da esposa enquanto ela tem relação sexual com o outro. Muitas esposas chegam a pedir esse tipo de participação do marido, pois isto aumenta a satisfação delas.

“Para os casais que fazem esse trabalho, a mulher também encontra excitação, satisfação e estímulo com a exploração sexual do tabu”

Masoquista

O marido potencializa seu prazer pela humilhação. A esposa ou o amante viram dominadores e, acessórios como algemas, coleira, ganham participação no fetiche. O marido é xingado e às vezes é obrigado a se retirar do local da transa para realizar tarefas humilhantes como comprar camisinha, lavar a louça, etc.

Casto

O marido normalmente utiliza cinto de castidade, não podendo penetrar mais a esposa, ter ereção ou orgasmos.

Masoquista de Contato

O marido sente prazer em ter contato com esposa e o “outro” de forma a ser humilhado, abrindo a vagina ou o ânus da esposa para receber o pênis do amante, fazendo oral na esposa ou no amante pra lubrificá-los, ou mesmo lamber o pênis e o saco do amante enquanto ele penetra a esposa. Existem casos mais extremos em que o marido gosta de lamber o gozo do amante vindo de dentro da vagina da esposa. Muitos confundem todas essas ações com homossexualidade ou bissexualidade. O contato entre homens ocorre exclusivamente pela necessidade de humilhação.

Bissexual

Esse é o caso em que realmente o marido é bissexual. O contato entre marido e comedor será total, havendo penetração e em alguns casos beijo na boca. Nesse tipo de relação pode-se dizer que ocorre o menage a tróis masculino real.meuip

Cuckold Bissexual

Dica Importante Para Praticar o Cuckolding

Estabeleçam os Limites

Para que o Cuckolding venha apimentar e não estragar o relacionamento que pode tanto ser algo mais recente, como um namoro, quanto algo de anos, como um casamento, é importante levar em consideração que primeiramente, é necessário uma conversa entre o casal, é importante registrar quais são os limites que cada um dos parceiros está disposto a enfrentar nessa aventura. É importante dizer que depois que esse desejo sai da imaginação e passa para a realidade não há volta, portanto estejam seguros antes de tomar essa decisão.

Não São Poucos Homens Que Gostam

Quando eu falo sobre o cuckold, muitas pessoas acham estranho, porém esse fetiche é muito comum entre os homens. Cada vez mais essa modalidade de sexo tem crescido no Brasil.

Para saber se este tipo de fetiche é o certo para você, pare um instante e feche os olhos por um momento. Tente imaginar sua parceira fazendo sexo com outro homem enquanto é humilhado por ambos. Se você não conseguiu nem pensar nisso ou se sentiu mal com a cena, realmente este fetiche não é para você.

O Homem é Feliz Com Essa Prática?

As pessoas imaginam que o cuckold é um homem infeliz e incapaz de satisfazer a sua mulher, seja por ser muito feio, ter um pênis pequeno, não conseguir manter a ereção, ou ser um gay enrustido. Sim, casos assim existem, mas eles podem ser descritos apenas como pessoas inseguras. O cuckold as vezes é mais bonito, tem o pênis maior e dá muito prazer à sua esposa do que a maioria dos outros homens com quem a sua mulher vai transar.

Ele não gosta de ser corno porque tem alguma incapacidade, os inseguros são assim. O cuckold gosta porque gosta… Essa é a tara dele. Talvez a maior prova disso seja a grande quantidade de homens que começam como machos alpha, transando com a mulher dos outros, e depois de um tempo começam a sentir prazer em ver as suas mulheres transando com outros também.

O perigo da prática cuckold

Para um homem que já é casado e deseja que sua esposa se envolva nesse fetiche com ele, normalmente não termina bem. A maioria das mulheres não entende por que seu marido gostaria que outro homem fizesse sexo com elas, então a comunicação e a intimidade se desintegram. Ocasionalmente, uma esposa acompanha esse relacionamento de corno para agradar o marido e / ou porque ela tem uma mente aberta e um espírito aventureiro.

Em algum momento, porém, o resultado final desse comportamento é que ela se apaixona pelo outro homem, ou percebe que não está de acordo com essa fantasia e, de fato, está abrigando ressentimento em relação ao marido. Os poucos relacionamentos que tiveram algum sucesso com o corno são aqueles em que marido e mulher se interessam pelo conceito antes do casamento e estabelecem limites com uma comunicação clara de antemão.

Terapia Sexual Para Homem

Cuckquean

Cuckquean é o termo usado para definir a esposa que gosta de ver o seu marido transando com outras mulheres. As regras não são diferentes do que foi falado acima, sobre os cuckolds, mas aqui, quem faz o papel de corninha ela ela, e o marido é o dono da corna.

Embora não seja uma regra, muitas cuckqueans são bissexuais e gostam de participar da transa. Isso seria a definição de um ménage à trois com duas mulheres, mas as meninas não param por aí. Seus maridinhos são livres para fazer sexo com outras mulheres, desde que ao chegar em casa, contem todos os detalhes.

Curso de Ginástica Íntima

Também é comum que as cuckqueans ajudem o marido a escolher outras mulheres, e até que convidem amigas para transar com ele. Uma cuckquean cede o seu lugar na cama para que o marido se divirta com outras mulheres, e sente orgulho em saber que seu marido se satisfaz e realiza suas fantasias com outras garotas.

O post Cuckold: Tudo Sobre o Gostar de Ser Corno apareceu primeiro em Débora Martins.

Esse Artigo Apareceu Primeiro em Cuckold: Tudo Sobre o Gostar de Ser Corno

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s